Não Erre mais na Escolha de Revestimentos Cerâmicos!




Sim! Eu sei! Entrar em uma loja de materiais de construção ou em um butique de acabamentos e não sair de lá desnorteado(a) é uma missão quase impossível! Mas eu vou fazer um esforcinho para te ajudar a se perder menos e fazer opções mais acertivas e seguras no momento de comprar suas cerâmicas, vamos la?





Fonte de imagem: nylafreedesigns.com


Do mais frágil ao mais resistente:


01 - Entenda os Tipos Disponíveis


O que faz um revestimento ser "cerâmico" é que ele seja produzido com a argila como matéria prima, e por métdodo de cozimento. Qualquer revestimento que cumpra esse processo pode ser chamado de cerâmico.


Entretanto: dependendo do tempo de cozimento, da qualidade do material e da tecnologia do processo ele pode aparecer com outros nomes que vão indicar algumas propriedades do material, aumento de resistência a risco, manchas, quebra, etc, tudo isso você afere pelo nome que ele recebe, vamos conhecer um pouco:


- A Cerâmica / Revestimento Cerâmico Simples:

quando aparece com esse nome indica que ele, dentre as possibilidades, é o mais frágil, menos tecnologico, normalmente apresenta uma qualidade inferior à todos os outros que veremos, e eu definitivamente não recomendo para PISO! A Cerâmica comum é pouco resistente a manchas, é mais dura, menos elástica, ou seja, maior facilidade para trincar, quebrar, etc. Encontrado em todas as cores e estampas, normalmente mais barato (não se esqueça que temos marcas e marcas, e cerâmicas até com ouro mesclado), pode ser fosca ou brilhosa e normalmente é encontrada em formatos menores: 10x10, 15x15, 20x20, 30x30 60x60 e variações retangulares.



- Azulejo:

Esse é o nome que todo mundo conhece e pouca gente sabe usar! Não! Azulejo não é igual "revestimento", um nome genérico. Só chamamos de azulejo o revestimento cerâmico esmaltado (ou seja: brilhoso), quadrado, normalmente de 15x15 ou 20x20 e que tem uma pintura seja de mosaico moderno (Athos Bulcão), seja figurativa (Típico Português). Ele fino e frágil, assim como a cerâmica, inadequadíssimo para pisos.














- Ladrilho Hidraulico:

Os fãs do estilo rústico tipo casa de fazenda, normalmente, se derretem por um ladrilho hidraulico! O Ladrilho Hidraulico (tem que falar o sobrenome sim, porque se disser só "ladrilho" já é outra coisa!) é quadradinho, 20x20 quase sempre, apresenta desenhos de moisaicos em tons pastéis, e tem pó de mármore em sua composição, já é uma opção principalmente utilizada para PISOS! Ao contrário dos anteriores! Ele é um pouco mais resistente, não só pela composição, mas principalmente pelo cozimento mais longo (24h), pela prensa que compacta ainda mais, e principalmente pelo que dá seu nome: a água. O ladrilho antes de ser vendido passa por um processo de submersão em água de mais ou menos 8h! Como a água é uma das principais causadoras de manchas em revestimentos, esse já é bem mais resistente à ela por conta desses processos, mas ainda é um revestimento frágil.










- Ladrilho:

O ladrilho é uma cerâmica de tamanho reduzido! Normalmente usamos esse nome para nos referir aos revestimentos retangulares tipo de metrô, ladrilho de metrô, tijolinho de metrô. Quando falamos "cerâmica" normalmente associamos a uma peça um pouco maior.








Fonte: Coleção Bella Vita da Portinari









- Porcelana:

A Porcelana já apresenta uma qualidade bastante superior à cerâmica comum. Assim como o ladrilho hidraulico, ela também tem uma queima de 24h, por isso apresenta uma resistência muito superior e também baixa absorção, portanto, menos panchas, portanto, pode ir pra piso e até piscina. Quase sempre que trabalhamos com esse material é no formato de pastilhas.








Coleções de Pastilha de Porcelana, marca Belamari




- Porcelanato:

O porcelanato é o meu queridinho e de mais muita gente, acho que as cerâmicas tem o seu valor como revestimento de PAREDE principalmente quando são decoradas (com desenhos, formatos diferentes, etc) e em áreas que não são muito irrigadas para não manchar, ou seja, fora do box, e dentro de casa.


MAS: é incontestável que o porcelanato é um produto de qualidade muito superior, tanto no sentido de aguentar maiores formatos sem trincar, quanto resistencia à água e manchas de forma geral, risco, pode ir ao sol, fachadas, ele é muito versátil.


Também é o queridinho porque é a aposta principal de quase todas as maiores marcas, leia-se bilhões e bilhões em pesquisas tanto de design quanto qualidade e tecnologia, e pouco a pouco está substituindo a pedra natural por ser uma opção muito mais sustentável (não tem extração como a da pedra, e a matéria prima ainda é o barro).


Quanto aos formatos: temos desde pastilhas com peças de 1cm x 1cm até placas que chamamos de "grandes formatos" que podem passar de 2m de comprimento.


Design: desde lisos de todas as cores, a imitações das mais toscas às que você precisa encostar e mesmo assim não ter certeza se é uma pedra ou até uma madeira. Também temos 3ds, enfim, o céu é o limite.




02 - Local de Uso é o Ponto de Partida!


Se você está fazendo uma leitura dinâmica desse artigo e quer saber o que é o mais importante, se acalme e foca nessa parte aqui, estamos falando de SEGURANÇA agora!


O revestimento cerâmico pode ser usado em qualquer ambiente, mas ele deve ter algumas preocupações muito importantes para que não estrague rapidamente ou ponha os usuários do espaço em perigo. Sim, é sério desse tanto!


Quando falamos de cerâmica existem alguns parâmetros muito importantes, o primeiro é o PEI, que diz basicamente qual revestimento que vai "aguentar" ser pisoteado em cada lugar. Como assim, Renata? Concorda que em um aeroporto se tem muito mais gente passando do que na sua sala de casa? Isso significa que o revestimento do aeroporto precisa de PEI 5, o mais resistente, e a sua casa do PEI 1.


Também tem a questão da Rugosidade! Revestimentos lisos e esmaltados são convites para acidentes quando colocados em calçadas, áreas externas, próximos à piscinas, área de serviço e principalmente box de banheiro! Atenção redobrada quando tiverem crianças ou idosos na jogada! Prefira revestimentos que tem coeficiente de atrito elevado!


Resistência a manchas: já disse acima, para piso prefira ladrilho hidraulico ou porcelanato. Não caia no barato que sai caro.





03 - Qual Formato eu Compro?


A tendência diz: o maior possível. "Nossa Renata, mas não fica ruim uma peça inteira no piso do box / lavabo / parede do não sei aonde / etc?" NÃO!


Quanto menos rejunte, mais elegante, mais sofisticado, e mais caro. A tendência de todas as marcas que tenho visto é de desenvolver peças cada vez maiores.


O que não fazer: em nome da elegância: salvo excessões, não especificamos mais pisos com tamanhos inferiores a 60x60, prefira placas a partir de 90x90, se puder, quanto maior, melhor.





04 - Atenção ao LOTE!


A cerâmica é feita a partir de uma massa de argila! Por mais industrial que seja, é impossível manter exatamente a mesma cor em todos os lotes! Quando for comprar grandes quantidades para uma área contínua (um salão imenso, por exemplo) certifique-se de que está comprando todas as peças do mesmo lote para que não haja uma variação importante no tom base das peças.



05 - Observe a Variação de Desenho e Tonalidade


Quando falei de lote variações indesejaveis na peça, MAS: as variações podem ser também intencionais e super positivas quando planejadas.


Uma pedra natural nunca vai apresentar veios, amendoas ou manchas exatamente iguais, então quando for comprar um porcelanato com design de pedra, atente-se para a quantidade de variações de veios de um mármore, por exemplo. Tem linhas que todas as peças são exatamente iguais, então fica menos natural.


Outro caso são as peças vintage que tem diferentes tonalidades de tom base para dar um charme.


O importante é estar ciente desse detalhe, para não comprar o produto e depois reclamar que não entendeu esse detalhe.










Fonte: coleção maravilhosa da Portobello, Casablanca.



06 - Retificado, Abaulado e o Drama do Rejunte


Eu, Renata Cortopassi, em todos os casos prefiro peças retificadas. O que isso quer dizer? Quer dizer que quando você olha a peça de lado, a lateral dela foi cortada em 90 graus, retinha, e não abaulada.


Por que isso? porque quando a peça é retificada ela te permite fazer uma junta seca (não são todas que podem, algumas peças pedem juntas grandes) que significa que você pode encostar uma peça na outra com uma quantidade mínima de rejunte, ou até sem rejunte.


A peça abaulada tem um relevo que em alguns casos pode ficar charmoso e principalmente quando você quer puxar o seu design para um estilo mais retrô. E ela precisa dessa junta um pouco maior. É o caso das pastilhas de porcelana.



Fonte: Blog rio Oito


07 - Atenção ao Assentamento, Armazenagem e Manutenção!


Sabe aquele papo de "me poupe, se poupe, nos poupe"? Reformar sai caro! Não compre suas peças e deixe estragar, ou estragarem por você.


Como já deve ter percebido, a água é o mal da cerâmica, nada de armazenar em locais expostos a umidade. A Armazenagem correta é sobre pallet, com plástico sobre o pallet para evitar que ele umideça, e com as placas cobertas também por lonas.


Atenção com a argamassa e o rejunte! Cada revestimento pede um tipo específico, leia a orientação do fabricante para não estragar a sua peça.


Manutenção idem! Não é qualquer produto que pode ser usado para limpar esses revestimentos, e quanto mais frágil, mais atenção, leia as orientações do fabricante!





08 - Acabamento: Brilho ou Fosco?!


Depende! Claro! Temos local para tudo! O brilhante normalmente é mais associado a limpeza e elegância, o fosco é mais usado para ambientes clean ou industriais, mas os dois podem ser misturados em qualquer ambiente e estilo e dar um resultado supreendente.


Aos amantes do brilho, peço um único cuidade: há peças de qualidade inferior que apresentam um acabamento muito heterogêneo, e o brilho fica muito ondulado, menos elegante. Prefira peças com um brilho mais regular.










Fonte: Eliane Revestimentos




09 - Estampas/ Cores / Combinações: Escolha sem Surtos!


Aí é que o bicho pega né? Temos um mundo infinito de opções para todos os gostos, acho que já deu pra perceber que escolher não é tão fácil, e sinceramente, eu sempre vou recomendar que qualquer leigo (não arquiteto nem designer de interiores) contrate uma acessoria de compras neste momento, ou peça auxílio à arquiteta ou designer da loja, muitas lojas de material de construção tem.

MAS: eu não vou terminar o post sem algumas dicas e deixar você na mão, óbvio!


Algumas combinações que são difíceis de errar:


01: Tons neutros + mármore + madeira
























02: Base neutra + tons pasteis


















03: Monocromático (inclusive é tendência)























04: Pedra Tom Neutro + Madeira + Cor Lisa





















05: Pedra Colorida + Madeira + Cor Lisa no Tom base da Pedra























Eai, ajudei? Espero que sim! Se ainda não acompanha meus conteúdos pelo instagram clica aqui e corre no @studiorenatacortopassi para acompanhar o meu dia a dia e receber dicas quase que diárias de todo esse mundo delicioso da arquitetura e interiores!


Até lá!